Posts

11 ações para começar bem o dia

Insônia, café da manhã apressado, trânsito… Essas são apenas algumas situações que contribuem para que o dia comece estressante e agitado. Para garantir mais qualidade de vida à rotina, o segredo é buscar o equilíbrio e cuidar da saúde física e emocional, sem se deixar levar pela correria do dia a dia.

“Construir uma visão de mundo mais otimista e solidária é um jeito de amenizar o estresse e ter mais tranquilidade. Não é algo que acontece do dia para a noite, mas traz resultados positivos em longo prazo e que se manifesta na saúde do organismo”, afirma Ruth Yamada, psicóloga e especialista em qualidade de vida e bem estar.

Com um pouco de disciplina e organização, é possível driblar o mau humor e a indisposição para ter um dia – e uma vida – melhor. Confira nas dicas abaixo:

1. Ter um sono de qualidade

Uma boa noite de sono é fundamental para ter um dia produtivo. Mais do que a quantidade de horas, que varia muito de pessoa para pessoa, é importante a qualidade do sono – por isso, vale estabelecer um horário fixo para dormir e tomar um chá relaxante antes de se deitar. “Quando a pessoa não dorme bem, ela adoece e fica fora do prumo, atrapalhando a produtividade do dia seguinte”, explica Ruth Yamada.

2. Driblar o botão “soneca”

Não se render àqueles minutinhos extras de sono é uma saída para acordar com mais calma. “Quem levanta na pressa, atrasado, já acorda de mau humor e tende a ficar assim pelo resto do dia”, comenta José Carlos Carturan, especialista em medicina comportamental. Com o tempo livre, que antes seria gasto dormindo, é possível tomar um banho relaxante, praticar algum exercício e aproveitar o café da manhã com tranquilidade.

3. Alongar

“Alongar-se é como dar bom dia aos músculos e prepará-los para as atividades que virão”, comenta José Carlos. Para se aquecer, vale estender braços, pernas e as laterais do corpo, além de uma boa espreguiçada. Cerca de dez minutos já são suficientes para “acordar” os músculos com mais disposição.

4. Ter um bom café da manhã

A primeira e mais importante refeição do dia não deve passar em branco, mesmo que o dia seja corrido. Quem come qualquer coisa, sem levar em consideração nutrientes e vitaminas essenciais para o organismo, acaba ficando com fome mais rápido e, por consequência, mal humorado. Por isso, frutas, cereais e carboidratos integrais são importantes para começar o dia bem.

5. Cuidar da mente

A Neurociência já comprovou que sessões de meditação diárias garantem uma série de benefícios ao organismo. Meditar por vinte minutos diariamente, antes de ir trabalhar, ajuda a relaxar o corpo e preparar a mente para os compromissos ao longo do dia. “Mentalizar algo tem um efeito muito semelhante a uma situação real. Se eu penso em coisas agradáveis, meu cérebro interpreta isso como uma verdade e libera substâncias químicas que proporcionam o prazer”, explica José Carlos.

6. Cuidar do corpo

Depois de acalmar e preparar a mente, é importante exercitar o físico também, mas sem exagerar. Pela manhã, uma boa ideia é caminhar por pelo menos 30 minutos em algum parque ou fazer uma sessão de pilates ou yoga. A atividade física é revigorante para o organismo, pois há a liberação de endorfina e dopamina pelo cérebro, substâncias responsáveis pela sensação de relaxamento.

7. Ouvir música

Qualquer estímulo agradável, seja ele visual ou sonoro, faz com que o cérebro libere substâncias químicas que proporcionam prazer. Colocar suas músicas favoritas para tocar enquanto toma banho, se arruma e prepara o café da manhã é outra dica para ter um dia mais leve e feliz.

8. Tomar um banho

Não precisa ser nada de outro mundo, como vinte minutos na banheira com sais de banho. Uma ducha morna, logo depois de acordar ou de se exercitar, ajuda a despertar e relaxa os músculos, o que é ideal para se preparar para um dia agitado.

9. Focar nas metas

Preparar um planejamento semanal das tarefas contribui para um dia produtivo. “Quanto eu tenho em mente as tarefas do dia, já acordo motivado e comprometido, pois o foco é estimulante”, afirma José Carlos. Conforme as algumas metas forem sendo cumpridas, vale revisar o planejamento e agregar novas tarefas.

10. Ser gentil

É certo que não dá para ser feliz o tempo todo, todos os dias, mas um pouco de gentileza ao longo do dia também traz benefícios, tanto para quem sorri como para quem recebe o sorriso. “Nós andamos tão atarefados e individualistas que mal conseguimos nos colocar no lugar do outro. Sorrir mais e cumprimentar as pessoas com atenção são atitudes que atraem sentimentos bons e garantem um bem estar duradouro”, pontua Rita Yamada.

11. Respeitar seus próprios horários

Cada pessoa tem um período do dia quando trabalha com mais motivação. Por isso, é importante descobrir o horário perfeito para cumprir as atividades que exigem mais foco e energia, deixando as mais leves para depois, quando a mente estiver mais dispersa. “O que não dá para fazer é misturar esses horários e atividades, porque a atenção se perde. Também é preciso respeitar as pausas, como o horário de almoço”, reforça Ruth Yamada.

Fonte: http://delas.ig.com.br/

 

Aprenda o que comer antes, durante e depois de treinos com alta intensidade

Durante a prática esportiva, a demanda de energia vem principalmente de carboidratos, independentemente da modalidade, seja endurance (corrida, ciclismo, spining, natação e etc) ou treinamento de força.
Os carboidratos estão disponíveis para o organismo através da dieta, São armazenados em forma de glicogênio muscular e hepático e sua falta leva à fadiga. A fadiga que ocorre em exercícios físicos prolongados e de alta intensidade está associada a baixos estoques e exaustão de glicogênio, hipoglicemia e desidratação. Os estoques de carboidratos são limitados e precisam ser repostos através da alimentação.
O que comer antes, durante e depois do exercício de endurance?
Antes da prática esportiva:
Os carboidratos são fundamentais para aumentar tanto as reservas de glicogênio muscular quanto hepático. Não se pode praticar exercícios físicos em jejum, a performance fica reduzida.
O desjejum ou lanche deve ser uma refeição rica em carboidratos, baixa em gordura e moderada em proteínas magras.

Opção 1: banana com mel (para aqueles que não conseguem ingerir muito volume)
Opção 2: refresco ou água de coco + sanduiche com queijo magro e peito peru
Opção 3: uma fatia de bolo simples sem recheio ou cobertura

Para manter a hidratação: até quatro horas antes, ingerir 400ml de água. De uma a duas horas antes, em torno de 250ml de água.

Durante o exercício físico:

O objetivo é ajudar na manutenção da glicemia sanguínea. Em atividades acima de uma hora de duração ou praticadas em locais inóspitos (calor, frio ou altitude), uma das opções abaixo deve ser utilizada a cada 7km ou 45 minutos:

Opção 1:Gel ou jujuba de carboidratos
Opção 2: Bananada – duas bananadas (30g) são equivalentes a um gel de carboidrato
Opção 3: Bebida esportiva

Na natação, é interessante colocar uma bebida esportiva ou solução de maltodextrina (duas colheres de sopa cheias de maltodextrina em 400ml de água) na borda da piscina.
No ciclismo de longa distância (80 km) ou acima de duas horas, além do gel de carboidrato ou bebida esportiva e água, deve ser utilizada bebida que contenha carboidratos e também um pouco de proteína ou barras de proteínas ou sanduiche de frios/queijo magro com geleia de frutas (mistura de carboidratos e proteínas).
Deve-se respeitar a ingestão de água para repor as perdas pela transpiração, de 400 a 800ml de água a cada hora.
Após o exercício:
A ingestão de carboidratos visa repor os estoques exauridos e garantir um padrão anabólico. Imediatamente depois da atividade física, devem ser utilizados carboidratos de fácil absorção como frutas, água de coco ou bebida esportiva. A alimentação no pós-treino deve associar carboidratos e proteínas para recuperação rápida.

Opção 1: sanduiche ou tapioca de queijo magro com peito peru
Opção 2: iogurte + fruta + aveia
Opção 3: shake de whey protein + frutas

Fonte: Globoesporte

7 Dicas para Correr de Manhã | Clube Nipo

7 dicas para correr de manhã

Correr pela manhã te ajuda a ser mais eficaz no trabalho e a dormir melhor de noite. Se você não tem tempo, tenha a consciência que deve fazer algo por sua saúde, converta-se em um corredor matutino.

A boa notícia é se você não se considera uma pessoa com hábitos diurnos é possível mudar isso. Segundo os pesquisadores, o corpo é maleável. Tenha em conta as seguintes instruções antes de ajustar o despertador.

1 – Faça uma lista de prós e contras

O psicólogo esportivo John Raglin sugere que se você deseja correr pela manhã, faça uma lista com os pontos positivos e negativos. No lado positivo anote todos os benefícios de correr de madrugada: começar bem o dia, resolver a questão do treino logo cedo e tempo extra durante o dia. A área negativa poderia incluir ter de dormir mais cedo, insegurança ao correr no escuro.
“Com um pouco de sorte, o corredor verá que os prós ganham dos contras e que alguns dos contras, por exemplo deitar-se antes, podem ser benéficos ou ao menos bons hábitos”.

2 – Coloque sua família nesse barco

Joanie Templeton, professora, está acostumada a sair de casa às 7 da manhã, porém, quando em 2005 decidiu reduzir sua silhueta de 110 quilos, sabia que a única opção que tinha era levantar-se a às 4h30. “Não poderia fazer sem a ajuda de meu marido”, afirma a professora de 36 anos. “Ele se encarrega de preparar nossas filhas (de 6 e 10 anos) para o colégio. Ele vê como fico caso não consiga cumprir meu treinamento. Fico nervosa e mal humorada”.
Conte seu objetivos para seus familiares para que eles também possam desfrutar de seu projeto.

3 – Peça ajuda

Meghan Ridgley, que começou a correr às 5 da manhã quando sua filha nasceu, afirma que no princípio teve de se apoiar nos amigos que ajudaram-na com a adaptação. “Ter gente com quem contar nessas horas durante as primeiras semanas ajudou muito a me acostumar”, afirma Meghan, de 32 anos, que agora corre normalmente sozinha.

4 – Busque a rota adequada

Sair da cama não é o único obstáculo podemos encontrar. Muitas vezes as rotas que podem ser ideais às 18h podem ser perigosas ao amanhecer.

Antes de sair para correr cedo, pense na rota que vai seguir , fixando-se na luz, largura e condições de tráfego. Esteja aberto a procurar novos caminhos e deixe uma lista de rotas com seus familiares por precaução.

Nick Bigney, advogado de 33 anos afirma que teve de eliminar uma de suas rotas ao começar a correr de madrugada. “Há um parque perto da minha casa que me encanta, entretanto, não há luz e não se enxerga nada. Tropecei várias vezes com animais e me assustei com outros tantos. Para minha própria segurança (e dos animais) busquei novos caminhos”.

5 – Roupa certa

Esse item também tem relação com a segurança. Nesta hora deixe a roupa escura em casa. Vista-se para ser visto, com cores chamativas dos pés até a cabeça e roupas reflectivas.

Tudo para chamar a atenção dos carros e motos. Seria genial poder levar uma luz frontal ou mesmo uma lanterna se sair antes das 7h. 2010, a Runner´s World levou a cabo um estudo que descobriu que os condutores podem essas luzes a uma distância de 500 m, os detalhes reflectivos nas roupas e calçados podem ser vistos a apenas 100 metros de distância e uma camiseta branca só é visível a 15 metros.

6 – Crie um mantra

Segundo especialistas é essencial ter uma frase que te tire da cama nas primeiras semanas. Tente algo como: se corro agora me sentirei bem o dia todo. Se continuar dormindo me sentirei culpado o dia todo. Alguns minutos de esforço agora e um dia inteiro de euforia.

7 – Desafie a natureza

Cada um de nós tem um ritmo interno estabelecido pelo que conhecemos como relógio circadiano (baseado no ciclo biológico de 24h). Os fatores que o influenciam são a genética, a idade e os fatores médio-ambientais (especialmente a exposição à luz, que regula a melatonina).

Porém, muitas de nossas decisões em nosso estilo de vida, como a hora que trabalhamos, quando jantamos ou quando nos socializamos também têm um papel importante. Para reajustar o ciclo de sonos, conte três semanas para acostumar-se a seu novo horário. Segundo os especialistas, seu corpo fará os ajustes necessários de forma natural.

Fonte: exame.abril.com.br

Importancia do Óculos de Sol vai Além da Estetica | Clube Nipo

Importância dos óculos de sol vai além da estética

Lentes claras ou escuras; armações brancas, pretas ou coloridas, essas características influenciam bastante na escolha dos óculos escuros, mas são o que menos importa quando o tema é proteção. De nada adianta escolher o acessório pela aparência se ele no fim não proteger bem os olhos contra os raios ultravioleta.
Segundo a oftalmologista Claudia Almeida, especializada no setor de retina e vítreo, os fatores de proteção solar dos óculos escuros servem para diminuir a quantidade de radiação que penetra nos tecidos oculares, causando danos cumulativos durante os anos.

Os óculos escuros que contêm proteção UV, contra os raios ultravioleta, são importantes na proteção de várias estruturas dos olhos que podem ser alteradas pelo fotoenvelhecimento, que é a exposição excessiva à radiação ultravioleta. A tonalidade das lentes não tem grande importância e podem variar de acordo com o conforto visual do usuário, visto que até as lentes de grau transparentes podem receber o tratamento contra radiação UV. 

Quando se diz os óculos ao formato do rosto, acompanhando o arqueado das sobrancelhas, esteticamente é obtido um resultado melhor, porém, nada impede que a pessoa use um modelo que tenha gostado mais. No caso dos esportistas, o mais indicado é que se escolha o tipo de óculos curvo nas laterais, que protegeria mais contra a entrada de radiação UV.

Os raios ultravioleta fazem parte de um espectro solar, conjunto das radiações solares que se dividem em UVA, UVB e UVC. Esses três tipos se diferem pelo comprimento de onda.

UVA

São os raios de maior amplitude, alcançando as camadas mais profundas dos tecidos corporais e estão presentes praticamente na mesma quantidade, tanto no verão, quanto no inverno, e são responsáveis pelos danos celulares mais importantes.

UVB

São aqueles raios que causam mais queimaduras através do sol, se apresentando em maior quantidade no verão, entre os horários de 10 horas e 16 horas. Esses são mais invisíveis e ocasionam o envelhecimento precoce da pele.

UVC
São os raios filtrados totalmente pela camada de ozônio, absorvidos pelo oxigênio e o ozônio da atmosfera, não chegando até a superfície da Terra. Essa radiação é penetrante e danosa, por isso é importante proteger a camada de ozônio.

Atenção às crianças

A importância de usar uma proteção ocular competente também se aplica às crianças. Pelas características mais sensíveis das crianças, as chances de sofrerem ainda mais com os danos dos raios UV são maiores. Não arrisque com óculos de sol piratas para os pequenos: lembre-se da importância de uma proteção competente para os olhos.

Fonte: www.visaolaser.com.br  //  globoesporte.globo.com

Dores nas articulações: 5 dicas praticas

Dicas para aliviar a dor articular:

São muitas as pessoas que sofrem com dores articulares, uma realidade provocada pela artrite, pelo reumatismo, artrose etc. É verdade que nem sempre é possível eliminar por completo a dor e que aprendemos a viver com ela, mas o que sim podemos fazer é seguir algumas estratégias básicas mediante as quais reduziremos a dor e, o que é mais importante: obteremos melhor qualidade de vida.

Sempre temos que seguir os conselhos de nossos médicos e não excedermos muito com o consumo de medicamentos, tais como os anti-inflamatórios, já que às vezes também acabaremos sofrendo seus efeitos colaterais. Asseguramos que existem alguns remédios naturais que podem te servir de muita ajuda.

1. Gengibre diariamente

Um estudo realizado pela universidade de Miami nos diz que consumir duas cápsulas diárias de gengibre nos ajuda a desinflamar as articulações e a aliviar a dor. De fato, as propriedades do gengibre são muito semelhantes às do próprio ibuprofeno (mas sem os consequentes efeitos colaterais, tais como dor de estômago ou os riscos circulatórios). Estes comprimidos de gengibre podem ser encontrados nas lojas de produtos naturais ou em farmácias homeopáticas, o normal é tomar duas ao dia. De todos os modos, você também sabe que pode recorrer à clássica infusão. Ralar o equivalente a uma colher da própria raiz de gengibre, levá-la a ebulição junto com uma xícara de água. Tomar pela manhã e pela tarde.

2. Cuidado com determinados alimentos

Registra os seguintes alimentos que vamos especificar, o melhor é eliminá-los ou consumi-los em pouca quantidade para poder aliviar, desse modo, a dor articular:

  • Lácteos: contêm um elemento chamado caseína que favorecem a inflamação das articulações. Se você é um(a) amante do leite e dos iogurtes, começa a reduzi-los para o bem de sua saúde e sua qualidade de vida.
  • Carne vermelha: evitá-la por completo, não é boa para a saúde em geral e, em especial, se você tem problemas em suas articulações.
  • O trigo: Existem alguns estudos que nos dizem que o trigo e muitos cereais que contêm o conhecido elemento chamado glúten, geralmente causam inflamação nas articulações de pessoas que sofrem de artrite. Solução? Reduzir este elemento em sua dieta para analisar se apresenta alívio. Há pessoas que não notam mudanças, mas há muitas que reconhecem ter mais qualidade de vida depois de ter eliminado o glúten.
  • Ovos: também cuidaremos de seu consumo. Por ser um produto animal, os ovos contêm ácido araquidônico em sua gema, um elemento que também favorece o processo inflamatório e que, às vezes, nos faz sentir inchados e doloridos. É verdade que os ovos são muito saudáveis e cheios de proteínas, mas estas proteínas animais podem, eventualmente, nos trazer efeitos não esperados.
  • Hortaliças (Solanaceae): quando falamos das hortaliças nos referimos, por exemplo, aos tomates, aos pimentões, às berinjelas etc., que são vegetais frios que podem causar rigidez músculo-esquelética, que favorecem as dores e inflamações nas articulações. Isso tudo se deve a um alcaloide tóxico chamado solanina, um composto que pode agravar a inflamação, sobretudo em pessoas que já sofrem com a doença. A melhor que você pode consumir são, por exemplo, as cenouras.

3. Chá verde pela manhã

O chá verde tem polifenóis (antioxidantes) que se demonstraram grandes aliados na hora de prevenir e aliviar os efeitos da artrose e da dor articular. Assim, você já sabe, nunca esqueça de incluir uma xícara de chá verde em seu café da manhã.

4. Vitamina E

Certamente já ouviu falar dela, seus efeitos são maravilhosos para resolver os sintomas da artrose e é considerada um verdadeiro medicamento. O ideal é tomar dois comprimidos por dia, as quantidades já serão indicadas na caixa de comprimidos ou cápsulas quando você adquirir em uma loja de produtos naturais ou em uma farmácia, convencional ou homeopática. Você sabe também que pode encontrar vitamina E na maioria dos vegetais de folha verde, mas para poder conseguir a dose adequada sempre é melhor recorrer às cápsulas.

5. Alimentos que podem reduzir a dor e melhorar seu estado de ânimo.

Melhorar nossa qualidade de vida é imprescindível. E isso se consegue com uma boa alimentação e com nutrientes que não apenas reduzam a dor articular, mas que também melhorarão nosso estado de ânimo.

Consumir, sempre que possível, alimentos frescos (frutas e verduras): os alimentos congelados ou pré-prontos industrializados não são recomendados, já que contêm elementos que propiciam a inflamação articular.

  • Frutos secos: nozes, amêndoas, pistaches, entre outros, nos dão energia e são muito saudáveis.
  • Suco de limão: nos aporta antioxidantes, e é muito adequado se consumimos, por exemplo, pelas manhãs ou junto com nossas infusões.
  • Óleo de fígado de bacalhau: é um clássico graças aos seus óleos ricos em ômega 3, ele se demonstrou muito efetivo para todas aquelas pessoas que sofrem problemas articulares. Assim que, não hesite em incluir uma colher diária em sua dieta.
  • Vinagre de maçã orgânico: alivia a dor e é muito recomendado para nossa saúde.
  • Grãos de quinoa e amaranto: são um super alimento, grãos que te aportarão grandes benefícios para sua saúde e que dia após dia irão aliviando sua dor articular.

Fonte: melhorcomsaude.com

2 Passos Essenciais para Higienizar suas Frutas | Clube Nipo

2 Passos essenciais para higienizar suas frutas

Quando nos deparamos com uma maçã vermelha e brilhante, surge um grande dilema: devemos ou não comer a casca? A vontade é de comer sem pensar duas vezes. Quando descascamos maçãs, peras e outras frutas que têm cascas comestíveis, estamos descartando a parte mais importante da fruta, onde há maior concentração de fibras e vitaminas. Mas e os micro-organismos e os agrotóxicos contidos nelas, não farão mal à saúde?

Tanto nas frutas quanto nas hortaliças podemos encontrar uma quantidade significativa de bactérias (entre elas os coliformes fecais e salmonelas) e larvas de insetos causadoras de infecções intestinais e verminoses. Os agrotóxicos, por sua vez, quando ingeridos em grande quantidade, podem causar cansaço, irritação na pele, alergias e intoxicação. Em longo prazo o seu consumo pode trazer consequências mais graves. Estudos apontam para uma relação entre os agrotóxicos e vários tipos de cânceres.

Segundo a ANVISA, “Uma lavagem dos alimentos em água corrente só poderia remover parte dos resíduos de agrotóxicos presentes na superfície dos mesmos. Os agrotóxicos sistêmicos e uma parte dos de contato, por terem sido absorvidos por tecidos internos da planta, caso ainda não tenham sido degradados pelo próprio metabolismo do vegetal, permanecerão nos alimentos mesmo que esses sejam lavados. Neste caso, uma vez contaminados com resíduos de agrotóxicos, estes alimentos levarão o consumidor a ingerir[esses] resíduos.”

Embora a higienização sugerida a seguir não remova todo o agrotóxico, melhorará bastante as condições do alimento, tornando-os mais adequados para o consumo.

Você vai precisar de:

Uma escova com cerdas macias, próprias para lavar frutas e legumes.
Duas bacias ou tigelas grandes utilizadas somente para esse fim.
Água sanitária (sem qualquer aditivo, como fragrâncias ou detergentes) com concentração de cloro de 2 a 2,5%.
Bicarbonato de sódio.
Veja o passo a passo do processo de higienização:

1ª Etapa: desinfecção (todos)

Selecione bem as frutas e verduras, retirando as partes estragadas.
Lave-os bem para tirar a sujeira. As verduras precisam ser lavadas, folha por folha. As uvas precisam ser lavadas com muito cuidado para não caírem do cacho.
Limpe-os bem com a escova (exceto folhas pequenas e/ou sensíveis, como alface, agrião, espinafre, etc.; e frutas delicadas como morango e uva).
Deixe-os mergulhados por cerca de 30 minutos numa tigela com 1 litro de água e 1 colher de sopa de água sanitária.
Enxágue bem.

2ª Etapa (somente as frutas que serão consumidas com a casca e as verduras)

Coloque-os em outra tigela com um litro d’água acrescido de uma colher de sopa de bicarbonato de sódio. Deixe agir por mais 20 minutos.
Enxágue bem.
Observações importantes

  • Você pode lavar todas as verduras e guardá-las em potes tampados dentro da geladeira. Siga o procedimento acima e, para finalizar, seque-as, folha por folha, com um papel toalha. Elas duram em torno de uma semana.
  • As frutas também devem ser enxutas.
  • Se você puder comprar frutas e hortaliças orgânicas, faça-o. Eles não contêm agrotóxicos. No entanto, para higienizá-los, proceda da mesma forma.
  • Entre os alimentos com maiores concentração de agrotóxicos, estão o morango, o tomate e a alface.
  • As frutas e legumes da estação têm uma quantidade menor de agrotóxicos.
  • Não há necessidade de aplicar o processo de desinfecção em frutas com cascas grossas, como laranja, banana, tangerina, melancia, melão, abacaxi, etc. No entanto, exceto a banana, as demais devem ser lavadas antes de serem cortadas ou descascadas.
  • O lugar de frutas, verduras e legumes é dentro da geladeira, devidamente embalados. O único alimento que deve ficar fora da geladeira é a banana. Frutas como abacaxi, melancia, melão, abacate, entre outras, não necessitam de geladeira antes de serem partidas. No entanto, precisam ficar longe do sol, da umidade e em lugar arejado.
  • Não se esqueça de lavar bem as mãos antes de manusear os alimentos

Entre ingerir alimentos com resquícios de agrotóxicos e não os ingerir, os profissionais da saúde aconselham a sua ingestão – já que eles contêm nutrientes de vital importância para a nossa saúde – desde que sejam higienizados corretamente, pois tal procedimento pode minimizar os problemas que os agrotóxicos poderiam causar ao nosso organismo.

 

Fonte: Família

A importância do alongamento | Clube Nipo

A importância do alongamento

O que é o alongamento?

Alongamentos são exercícios voltados para o aumento da flexibilidade muscular, que promovem o estiramento das fibras musculares, fazendo com que elas aumentem o seu comprimento. O principal efeito dos alongamentos é o aumento da flexibilidade, que é a maior amplitude de movimento possível de uma determinada articulação. Quanto mais alongado um músculo, maior será a movimentação da articulação comandada por aquele músculo e, portanto, maior sua flexibilidade.
Segundo Bruna Joaquim Carneiro, professora de educação física e nutricionista, o alongamento é uma prática fundamental para o bom funcionamento do corpo, proporcionando maior agilidade e elasticidade, além de prevenir lesões. Essencial para o aquecimento e relaxamento dos músculos, deve ser uma atividade incorporada ao exercício físico, mas também pode ser praticado sozinho.
Qualquer pessoa pode aprender a fazer alongamentos, independentemente da idade e da flexibilidade, segundo Bruna Caneiro mesmo quem apresenta algum problema específico, como LER ou hérnia de disco também pode fazer alongamentos, mas com menos intensidade. Não é preciso grande condição física ou habilidades atléticas.
Os alongamentos podem ser feitos sempre que se sentir vontade, uma vez que relaxam o corpo e a mente.

Quando feitos de maneira adequada os alongamentos trazem os seguintes benefícios:

  • Reduzem as tensões musculares;
  • Relaxam o corpo;
  • Proporcionam maior consciência corporal;
  • Deixam os movimentos mais soltos e leves;
  • Previnem lesões;
  • Preparam o corpo para atividades físicas;
  • Ativam a circulação.

No caso de estudantes eles podem ser feitos até no intervalo das aulas, o alongamento ajuda na respiração, facilitando a circulação sanguínea o que aumenta o raciocínio.

Como deve ser feito?

A respiração é fundamental: quando se respira fundo aumenta-se o relaxamento muscular. É a respiração que dá o ritmo ao exercício e por isso deve ser lenta e profunda. Deve-se respeitar os seus limites. Forçar o alongamento pode causar lesões nos músculos e tendões. Não se preocupe em alongar até ao limite. Aos poucos você vai ganhar flexibilidade.
Regularidade e relaxamento são ingredientes obrigatórios para um bom alongamento. Aprenda a introduzi-lo em sua rotina. É possível alongar enquanto se faz outras coisas como ler ou ver TV. Os alongamentos conseguem esse resultado por aumentarem a temperatura da musculatura e por produzirem pequenas distensões na camada de tecido conjuntivo que revestem os músculos.

Por que fazer alongamentos?

Tanto uma vida sedentária, como a prática de atividade física regular intensa, em maior ou menor grau, promovem o encurtamento das fibras musculares, com diminuição da flexibilidade. Quanto à atividade física, esportes de longa duração como corrida, ciclismo, natação, entre outros, fortalecem os músculos, mas diminuem a sua flexibilidade.

Nos dois casos, a conseqüência direta desse encurtamento de fibras é a maior propensão para o desenvolvimento de problemas em ossos e músculos. Provavelmente, a queixa mais freqüente encontrada tanto entre sedentários, como entre atletas, é a perda da flexibilidade provocando dores lombares, por encurtamento da musculatura das costas e posterior das coxas, associado a uma musculatura abdominal fraca. Com a prática regular de alongamentos os músculos passam a suportar melhor as tensões diárias e dos esportes, prevenindo o desenvolvimento de lesões musculares.

Quando alongar?

É importante alongar adequadamente a musculatura antes e também depois de uma atividade física. Isso prepara os músculos para as exigências que virão a seguir, protegendo e melhorando o desempenho muscular. Pela sua facilidade de execução, a maioria dos alongamentos pode também ser feitos, praticamente, a qualquer hora. Ao despertar pela manhã, no trabalho, durante viagens prolongadas, no ônibus, em qualquer lugar. Sempre que for identificada alguma tensão muscular, prontamente algum tipo de alongamento pode ser empregado para trazer bem estar.

Como alongar?

Antes de tudo, é importante aprender a forma correta de executar os alongamentos, para aumentar os resultados e evitar lesões. Inicie o alongamento até sentir uma certa tensão no músculo e então relaxe um pouco, sustentando de 30 á 40 segundos, voltando novamente à posição inicial de relaxamento. Os movimentos devem ser sempre lentos e suaves.
O mesmo alongamento pode ser repetido, buscando alongar mais o músculo evitando sentir dor. Para aumentar o resultado, após cada alongamento, o músculo pode ser contraído por alguns segundos, voltando a ser alongado novamente. Bruna Carneiro ressalta que o ideal é combinar a prática do alongamento a uma atividade aeróbica, como, por exemplo, a caminhada.